Eles querem ir onde o povo está

CULTURA

Ser artista no Brasil implica estabelecer um diálogo com o público, que nem sempre aprecia manifestações artísticas mais sofisticadas e, por isso, tende a limitar o consumo a produções de maior apelo comercial

CAPA

Cidade Nova

Novembro 2018

LX Nº 631

Folhear esta edição

Há vida após as eleições

Passado o período eleitoral, Cidade Nova convida seus leitores e cidadãos a refletir sobre a democracia no Brasil e sobre como nos comportamos no diálogo político com nossos conhecidos

BRASILSociedade / Comportamento

Desafios e conquistas do jornalismo na Amazônia

Ideia de um lugar mais humano e consciente supera dificuldades, empodera cidadãos locais e dá vez à luta social

PROTAGONISTASSociedade / Comportamento


Precisamos falar sobre pedofilia

Quando os agressores são membros da Igreja, a repercussão pode ser tão grande quanto as consequências; mas o que está sendo feito para pôr fim ao problema da pedofilia no âmbito eclesial?

INTERNACIONALSociedade / Comportamento

A arte de incluir

Arte, empreendedorismo e inclusão produtiva. Esses três fatores se reúnem no trabalho desenvolvido há mais de 20 anos pela artista Eli Tosta e seu Ateliê Brasil. Tudo começou a partir do desejo de imergir na diversidade cultural do país. “Eu fiz minhas escolas na Europa e, quando voltei para o Brasil, queria trabalhar com segmentos naturais. Comecei a pesquisar, andar pelo país, conhecer os biomas brasileiros...”, conta a artista, que desenvolve um sério trabalho de valorização da produção artesanal de comunidades locais por meio da arte.

ECONOMIA DE COMUNHÃOSociedade / Comportamento

As cercas que erguemos ao nosso redor

Podemos dizer que todos temos limites, cercas que erguemos ao nosso redor podem e que podem nos afastar ou nos aproximar das pessoas, incluir-nos ou nos excluir. Quando determinamos nossos limites, buscamos segurança e demonstramos nossos mais profundos sentimentos. Eis aí a temática da nossa dica literária deste mês: limites, na verdade, cercas, como é a tradução literal do livro Fences, texto originalmente escrito para uma peça teatral de 1983. Em versão impressa em língua portuguesa, a obra recebeu o nome de Um limite entre nós, do dramaturgo americano August Wilson (1945 – 2005), pseudônimo de Frederick August Kittel, cujo trabalho incluiu The Pittsburgh Cycle, uma série de dez peças de teatro que lhe rendeu dois prêmios Pulitzer, em 1987.

NA ESTANTEComportamento / Comunicação


China avança sobre América Central e incomoda EUA

AMÉRICA LATINASociedade / Comportamento

Cidade Nova em pauta

PONTO DE VISTASociedade / Comportamento

Do plástico ao chocolate

SUSTENTABILIDADEComportamento / Sustentabilidade

Esperança e misericórdia

CHAVE DE LEITURASociedade / Comportamento

Evocações

CRÔNICASociedade / Comportamento

IMAGEM

IMAGEMComportamento / Comunicação

Medo: consequências subjetivas e objetivas

PSICOLOGIASociedade / Comportamento

Novidades que as eleições de 2018 trouxeram

TOP 7Sociedade / Comportamento

O gato fala gatês

OUTRO OLHARSociedade / Comportamento

O seu trabalho não será mais o mesmo

TECNOLOGIASociedade / Comportamento

PEPÊ E JOTABÊ

PEPÊ E JOTABÊSociedade / Comunicação

Perfeição individual ou unidade possível?

ESPIRITUALIDADE EM ATOReligião / Espiritualidade

Quando a casa vira escola

FAMÍLIA EM FOCOSociedade / Comportamento

Questão de mercado?

UM FATO, UMA PERGUNTASociedade / Comportamento

Sucesso nas redes, Rubel turbina introspecção romântica

SOM NA CAIXASociedade / Comunicação

Tecnologia e humanidade

SOCIEDADESociedade / Comportamento

Um carisma para a santificação de todos

TODA VIDA TEM ESPERANÇAReligião / Espiritualidade

Um diamante

ABRE ASPASReligião / Espiritualidade

Unidade fraturada

ESPORTEEsporte / Comportamento

Vida pessoal e o trabalho

VOCÊ E O TRABALHOSociedade / Comportamento

‘A morte é uma vírgula’

ENTREVISTASociedade / Comportamento

Novembro / 2018Edição 631    Todas as edições
Edição seguinte